ARTIGOS

Pela via de etimologia, descobrimos que preocupar-se quer dizer pré-ocupar-se, ou seja, ocupar-se, ou seja, ocupar-se de algo que exige atenção, dedicação e energia, antes do tempo exato em que essas qualidades sejam, de fato, necessárias. Pela ótica da lógica primária, preocupar-se seria então, além de desnecessário, inútil.

Procuremos lançar uma nova luz sobre essa equação. Em tempos difíceis, e no tempo que os antecede, talvez seja adequado não se preocupar, e sim ocupar-se, uma vez que não se previnem nem se enfrentam dificuldades apenas com intenções, muito menos com sentimentos aflitivos. A ação é necessária. O movimento que cria a força capaz de romper as barreiras da dificuldade. Este é o caminho do enfrentamento da crise, da sobrevivência aos tempos difíceis, bem como de recuperação e do reposicionamento.

Em tempos assim ocorre uma diminuição natural ao campo reservado ao erro. Quando uma crise nos assola, parece que perdemos o direito de usar o tempo para experimentações. Precisamos urgentemente de encaminhamentos mais precisos, decisões mais acertadas, providências mais lógicas. Toda decisão mais acertada parece se transformar em um fato binário, representado por adequado e inadequado, urgente e não urgente, importante e não importante, certo e errado. E simplesmente, não podemos errar. Esta é a fonte de toda preocupação.

Pode parecer reducionista, mas lembremos que quando o matemático inglês George Boole propôs, em Leis do pensamento, que a lógica iniciada pelos gregos da Academia alcançaria sua melhor performance se fosse binária, estava, sem saber, criando, com um século de antecedência, as bases para a revolução da informática, sem a qual hoje não teríamos para realizar até nossas tarefas mais elementares.

Em síntese, toda decisão, escolha ou ação transforma-se na causa de um efeito que, por sua vez será a causa de efeitos posteriores. Essa relação de causalidade que conduz nossos destinos torna-se ainda mais dramática quando as margens que acomodam o erro se tornam mais estreitas. É o que acontece em tempos difíceis.

Atualmente, empresários e trabalhadores, executivos e donas de casa, fabricantes e lojistas, políticos e eleitores estão preocupados . No fundo, pessoas, tentando entender e buscando agir de forma correta. Por isso, esta reflexão neste momento, em que a crise econômica surge, provocada por outras crises: a administrativa, a política e a moral. Estas são as que realmente merecem nossa preocupação.

Texto publicado sob licença da revista Melhor, Editora  ABRH Brasil. Todos os direitos reservados.

Clique abaixo para acessar o conteúdo:
Devemos estar Preocupados?

Estou feliz em ter você por perto.

Meu escritório oficial negocia todos os meus trabalhos, entrevistas e uso de imagem.

Para entrevistas, licenciamento de artigos ou outros tipos de consultas e parcerias, entre em contato!

11.3661.2765


11.96308-3239

developed by Indigoway

EUGENIO MUSSAK © 2018. Todos os direitos reservados.